Nos envolvemos com marcas que estão dispostas a usar a comunicação para construir um mundo mais transparente, colaborativo, sensível e aberto.

Somos tipo uma agência de publicidade, mas com outra pegada. Estamos aqui para ajudar a construir marcas conscientes de sua importância na sociedade.

 
 
Logo-Gerdau.png

Missão da Parceria:
Transformar um simples grupo de corrida em um projeto
que também entregasse valor para a cidade.

 

Correr é saudável, divertido e terapêutico. Faz você deixar os problemas de lado, estimula o corpo e a mente e é um dos exercícios mais completos que existe. E quando você corre com outras pessoas, é como se todos esses benefícios fossem multiplicados. Afinal, pessoas determinadas e empolgadas têm o poder de mudar o mundo.
 

Foi pensando no bem-estar das pessoas que fazem a empresa e na vontade de fazer algo que gerasse valor para a cidade, que a Gerdau montou um time de corrida. Mas não é um grupo qualquer. O Run For Your City corre pelo futuro de Porto Alegre. Cada quilômetro percorrido simboliza uma verba destinada a projetos sociais que melhorem a cidade.

Placas de rua, faixas sinalizadas, pontos de ônibus, arte e melhorias na cidade são feitas com o apoio da Prefeitura e da EPTC. A cada meta concluída, um novo objetivo é criado para tornar o espaço urbano um lugar melhor para todos. O Run For Your City transforma a vida de quem corre e de quem vive Porto Alegre.

 
Fiquei muito feliz pela oportunidade de transformar um grupo de corrida em uma forma de impactar positivamente a cidade, de um jeito simples e prático, bem do jeito que curtimos tocar nossos projetos. Também gosto muito de como estamos nos conectando com empresas mais tradicionais, mas que estão alinhando com o nosso pensamento.
— Dai, Designer da Shoot The Shit
 
 
 
 

Missão da Parceria:
Inspirar e encorajar as pessoas que trabalham na Gerdau
a simplificarem processos através de microrrevoluções.

 

Simplicidade é o bom dia gentil no elevador. Desligar o automático para se envolver com alma. Concluir pequenas tarefas para sentir o prazer do “dever cumprido”. É apagar a luz da sala vazia. É levar ideias pra frente. Trocar um copo descartável por um copo de estimação. E atitudes simples, quando multiplicadas, geram revoluções.

A Gerdau precisava implementar a simplicidade como pilar essencial dentro da cultura interna. Nosso papel foi utilizar o poder das microrrevoluções para instalar o mindset da simplicidade nas pessoas da empresa, conectando situações comuns com impacto positivo.

Ao fazer ações simples que ganham escala no coletivo, as pessoas enxergam o valor das suas atitudes. Quando milhares elogiam um colega, ou quando milhares param de usar copo de plástico, todas as pessoas passam a ser também agentes de transformação. Simples. 

 
 
15 mil pessoas sendo atingidas por essa comunicação que busca sensibilizar sobre o poder das atitudes simples. Isso é dar poder para as pessoas. Que foda. Feliz pra caralho por ter colocado esse projeto na rua.
— Artur Scartazzini, Planejamento e Relacionamento da Shoot The Shit
 
Logo_Arapyaú.jpg

Missão da Parceria:
Apresentar um estudo sobre os desafios da
comunicação de causas sociais depois da revolução digital.

 

É comum a gente ver no 3º setor diversas iniciativas lindas e louváveis, mas que não atingem o número de pessoas que poderiam atingir com sua causa. Isso não acontece por preguiça ou porque as pessoas dessas iniciativas não querem colocar a cara no mundo.

Isso acontece porque comunicar causas tem suas peculiaridades. Comunicar produtos e serviços como as empresas costumam fazer - munidas de ótimas verbas de mídia -, é bem mais fácil. Causas precisam tocar no coração, mobilizar, chamar para ação, e tudo isso sem investimentos de publicidade.

Como engajar pessoas a longo prazo? Como usar as redes sociais? Como formar comunidade? Como as principais iniciativas do setor fazem? Para descobrir isso, o Instituto Arapyaú e fundações parceiras encomendaram a Cause e a Shoot um estudo sobre comunicação na era das causas sociais. Pra nós, foi muito desafiador. Mas também, muito irado.

 
 
 
Parar pra analisar - com calma - o que a gente faz é algo que a gente não tem o costume de fazer. Quando analisamos, questionamos e discutimos o que foi feito, desbloqueamos vários ‘novos’ aprendizados, que sempre estiveram ali, mas não saltavam aos olhos antes. Esse projeto não ajudou somente outras iniciativas. Ele ajudou a gente.
— Luciano Braga, Visão Criativa da Shoot The Shit
 
logotipo-colorido-horizontal.jpg
 

Missão da Parceria:
Impactar o mundo ao levar a educação da sala de aula para fora dos muros do colégio.

 
 

O primeiro parceiro que acreditou na Shoot The Shit (2012). Nossa missão era fazer a garotada do Ensino Médio pensar, criar e executar ações de intervenção urbana pela cidade. Ir pra rua com adolescentes e mostrar pro mundo o que eles, e o Colégio, acreditavam. Foram várias palestras e oficinas para a criação desses projetos. No final, a garotada mostrou que acreditava numa cidade mais limpa, acessível, artística e humana.

Desde então, a parceria só cresceu. Vieram trabalhos com séries mais iniciais. Vieram trabalhos com as pessoas que fazem o dia a dia do colégio acontecer. Vieram eventos e hortas urbanas. Vieram ex-alunos nos falar que nosso trabalho mudou a vida deles (juramos de pé junto que isso aconteceu, e mais de uma vez). Vieram muitos dos vídeos que estão aqui.

Muito já foi feito e a satisfação de fazer parte disso é enorme. Plantar uma sementinha da transformação nos jovens nos motiva a continuar levando os valores que são ensinados na escola para o mundo. Essa é a nossa busca. E olha que estamos apenas começando.

 
guarida.jpg

Missão da Parceria:
Disseminar valores que estimulem a colaboração
e a sustentabilidade nos condomínios onde a Guarida atua.

 

Todo dia nossa timeline é inundada de posts superficiais e passageiros. Marcas concorrem com fotos de família, a notícia de um casal que noivou vem logo acima de um anúncio de tênis. Memes, links, política, pôr-do-sol. Ao final do dia, muito consumo, pouca absorção.

Nas redes sociais da Guarida, nosso objetivo é disseminar pela comunidade Guarida as culturas da colaboração e da sustentabilidade. Estamos esquentando a conversa e criando terreno para que no futuro próximo possamos trabalhar também no mundo físico, em condomínios da marca.

Mas dá pra ser relevante. Não só dá, como é necessário. Dá pra aproveitar esse momento para falar algo que melhore o dia de alguém. Dá pra fazer pensar. Dá pra levar valores e comportamentos necessários para um mundo melhor. Assim, vamos aos poucos entrando na timeline para conscientizar os olhos e transformar pessoas. 

 
A chance de reverter uma parada boring – mídias sociais – em algo útil, bonito, querido, que cria laços com quem interage.
— Manu, Redatora da Shoot The Shit
 
 
 

Missão da Parceria:
Conectar pessoas para cocriar e repensar o futuro do SEBRAE no encontro de final do ano.

 
 

Empresas grandes geralmente possuem estruturas rígidas, uma cultura tradicional e formalidades em todos os níveis de atividade. Logo, reunir todas as pessoas que fazem o SEBRAE no mesmo ambiente, convidar eles para cocriar soluções e fazer os gestores ouvirem o que eles tinham a dizer parecia uma tarefa mega difícil. Mas não foi.

Ao longo de uma tarde toda, facilitamos esse processo com o objetivo de conectar as pessoas. Da conexão, vieram insights, propostas, ideias e soluções para que o trabalho do SEBRAE evoluísse.

Só que nem só o SEBRAE foi assunto. Queríamos que as pessoas se conectassem com elas mesmas também. Que pensassem em seus objetivos de vida, que lembrassem de momentos felizes, que meditassem. Assim acabou o evento. Mais do que torcer para que o dia a dia da empresa melhore, torcemos também para que as conexões que surgiram ali, seja entre pessoas, seja interpessoais, continuem.

 
Sabe aquele dia que o universo conversa com a gente?
Hoje foi um dia cheio de inspiração para a vida!
— Lucimeire Schmidt, Colaboradora do SEBRAE
 

Pra conhecer a metodologia que usamos, entre em contato.

DLL-Logo.png

Missão da Parceria:
Estimular nas pessoas que fazem parte do DLL o poder da colaboração
como ferramenta para transformar realidades.

 

“Dê início as suas microrrevoluções”. Essa era a frase escrita na frente da #ActionBox DLL, uma ferramenta nascida para fazer pessoas botarem a mão na massa. Com esse chamado que demos continuidade a conversa que havíamos começado no dia anterior em um evento para 250 pessoas do Banco DLL no Brasil.

 

Com palestras da Shoot The Shit, Smile Flame e Gabriel Carneiro Costa, nós e o DLL tinhamos como objetivo plantar a semente do poder que cada um tem de transformar realidades. As três falas focaram na temática da união, da colaboração, do “juntos fazemos as coisas acontecerem”. E após essa inundação de inspiração, quando as pessoas chegaram para trabalhar no outro dia, uma #ActionBox esperava por eles. Cada um ganhou a sua.

Nela havia ações que estimulavam a troca de livros, o empréstimo de objetos entre vizinhos, a consciência sobre o descarte do lixo, o compartilhamento de caronas entre colegas e até materiais para a construção de uma horta coletiva dentro do Banco. Com a sementinha plantada e a ferramenta certa na mão de todos, agora era só fazer acontecer.

Logo_natura_benfeitoria.jpg
 

Missão da Parceria:
Comunicar o Natura Cidades, um canal da Benfeitoria para projetos de intervenção urbana no Rio de Janeiro.

 
 

O Rio de Janeiro já é bonito afu. Na fotinho de Instagram não tem erro, é chuva de likes. Mas, obviamente, nem tudo são flores. Muito existe para ser melhorado na cidade e inúmeras são as cabeças criativas com ideias que podem ajudar nessa busca.

Querendo ser a ponte entre esses dois mundos, a Natura criou dentro da Benfeitoria o canal Natura Cidades, uma plataforma de financiamento coletivo para projetos de intervenção urbana que deixassem o Rio mais bonito, acolhedor e sustentável.

Nossa função? Criar o conceito e a estratégia de comunicação audiovisual desse canal. Criamos o conceito "A Cidade Chama" e o lançamento foi um sucesso. A meta eram 50 projetos inscritos e chegamos em mais de 180. Chamamos vagas vivas, bibliotecas colaborativas, exposições fotográficas, hortas comunitárias. Chamamos um Rio melhor.

 
 
 
 
Muito foda uma marca como a Natura investir pesado em projetos para cidades. Nada mais é do que um sinal para o mercado de que uma empresa pode ser uma excelente plataforma para empoderar muitas pessoas e iniciativas que estão alinhadas com o propósito de sustentabilidade da marca.
— Gab Gomes, Gestor da Shoot The Shit
 
logo_redbull.jpg

Missão da Parceria:
Ativar os Opinion Leaders da Red Bull de maneira criativa para anunciar o lançamento da rede Amaphiko.

 

Ativar os parceiros e Opinion Leaders da Red Bull de maneira criativa para anunciar o lançamento da Red Bull Amaphiko, uma rede de jovens inovadores sociais. Entre parceiros e OLs estavam Neymar Jr, Sandro Dias, Emicida, Luciano Huck, Fabio Porchat e mais 140 personalidades. Essas pessoas deveriam indicar jovens inovadores para a comunidade recém lançada.

Mas só indicar é palha. A gente queria que esses parceiros botassem a mão na massa.  Fizessem algo e, com o fazer, que inspirassem esses jovens a se candidatar pra Rede.

A nossa ideia foi criar uma #ActionBox com lambe-lambes dentro. A pessoa deveria colar esse lambe na rua, postar foto dele no Facebook e marcar o(s) jovem(ns) que eles recomendavam pra Amaphiko. Conseguimos mais de 250 inscritos para o processo seletivo. Sendo que 15 foram selecionados para entrar para a rede. Se o Neymar colou o lambe? Certo que não. Mas felizmente o mundo não é feito só de Neymares.

 
É difícil falar isso aqui, mas o projeto não saiu como a gente esperava. Faltou o acabamento foda que uma empresa como a Red Bull merece. Mas foi do caralho. A gente aprendeu muito e o projeto atingiu o objetivo.
— Gab Gomes, Gestor da Shoot The Shit